No aniversário de São José, governo Felício fecha os olhos à venda da Embraer que pode destruir milhares de empregos

Nossa cidade completa 251 anos no dia de hoje. São José é uma das maiores cidades paulistas, rica, mas também com muitas desigualdades sociais. A Prefeitura está fazendo uma série de atividades de comemoração. Não sou contra as comemorações, mas é preciso chamar a atenção para o fato de que o maior patrimônio da cidade que é a EMBRAER está sendo vendida para norte-americana Boeing.

A Embraer é a maior empregadora da região e também a maior fonte de arrecadação de São José. Essa empresa foi construída com dinheiro público e doação de uma parte do imposto de renda feito por milhares de pessoas. Na década de 90 foram cortadas as verbas e a empresa foi sucateada para ser privatizada em 1994.

A privatização foi um escândalo! Venderam a Embraer por R$150 milhões, sendo o pagamento feito em moeda de títulos podres (precatórios que não valiam um real).

Se a torneira foi fechada pra Embraer estatal, não se pode dizer o mesmo com a Embraer privatizada. Desde FHC, Lula, Dilma e Temer foram destinados 20 bilhões de dólares para empresa e o bolso dos acionistas. Acionistas esses que estão nesse momento vendendo a empresa para Boeing.

Essa venda é ainda mais escandalosa que a privatização. Querem entregar a aviação comercial, a parte mais lucrativa da empresa e a fábrica da Faria Lima. O valor dessa transação de 3,7 bilhões chega a ser uma piada, já que só a carteira de pedidos de aviões está em 15 bilhões de dólares.

Temer, Felício e os vereadores estão a favor desse crime contra São José e o Brasil. Na cidade do avião não houve uma audiência pública para discutir a venda da empresa. O prefeito de São José deveria está liderando um movimento nacional contra a venda, mas hoje se iguala ao corrupto e entreguista Michel Temer. Eles não falam que essa venda ameaça milhares de empregos na cidade e no país.

Nunca o governo americano deixaria a Embraer comprar a Boeing! A política imperialista e protecionista dos EUA e da Boeing não vão deixar um novo avião ser produzido em São José!

O futuro da Embraer e da nossa cidade passa pela reestatização dessa empresa. É preciso pensar a Embraer a serviço da soberania nacional e do desenvolvimento da aviação regional num país continental como o Brasil. Precisamos defender esse símbolo da indústria nacional, os empregos de milhares de trabalhadores e que desenvolve tecnologia de ponta.

Antônio Macapá, candidato a deputado federal pelo PSTU

Anúncios