Perseguição a diretores do sindicato 

Em um claro ataque à liberdade de organização dos trabalhadores, a Embraer tem perseguido diretores sindicais que atuam na fábrica.

Recentemente, Márcio José Barbosa de Morais, o Zeca, e Eder de Andrade, o Edão, foram transferidos de seus locais de trabalho, em retaliação à atuação sindical.

Zeca havia denunciado o assédio constante praticado por um supervisor contra os trabalhadores da área. Em resposta, a empresa o transferiu para outro setor.

O mesmo ocorreu com Edão, que foi mandado para uma área isolada da fábrica em Eugênio de Melo.

Além de afastá-lo da presença da maior parte dos metalúrgicos, a mudança ainda gerou desvio de função. 

Qualquer trabalhador que sinta ameaçado ou que tenha sofrido assédio moral deve procurar o sindicato. Assédio moral é crime! 


Anúncios