Sexta-feira é dia de lutar contra os ataques do governo Temer

cvjhg65w8aedwaiTrabalhadores de todo o país vão se mobilizar nesta sexta-feira (25), Dia Nacional de Lutas.

Será um dia para mostrar ao governo Temer que a classe trabalhadora não vai tolerar os ataques que estão sendo preparados.

Se o presidente Michel Temer (PMDB) pensa que vamos engolir as reformas que vêm por aí, pode esquecer. No País inteiro vai ter luta!

Trabalhadores de diversas categorias já estão se preparando para as mobilizações. Com os metalúrgicos não será diferente.

O governo e o Congresso Nacional já estão prontos para arrancar direitos históricos dos trabalhadores e aposentados. Para freiar esse trator, é preciso preparar o terreno e construir a Greve Geral. Este vai ser o papel das mobilizações do dia 25.

O Dia Nacional de Lutas está sendo convocado por centrais sindicais, como a CSP-Conlutas, CUT, Força Sindical, UGT, Nova Central Sindical, Intersindical, CGTB e CTB.

Conta da crise

Sem a menor cerimônia, o presidente Temer está jogando nas costas da população mais pobre a conta da crise criada pelo próprio governo.

O desemprego, a alta dos preços, retirada de direitos e cortes em serviços públicos são resultado de uma política voltada exclusivamente para beneficiar patrões e banqueiros.

A fórmula é velha: tirar dos pobres para dar aos ricos.

É hora, portanto, da classe trabalhadora ir à luta e mudar o rumo dessa história!

Preparar a greve geral

O Dia Nacional de Lutas é mais um passo em direção à Greve Geral que está sendo preparada no País.

A insatisfação com o governo e o Congresso Nacional é geral entre os trabalhadores, estudantes e o povo pobre.

Mas não adianta só reclamar. É preciso ir à luta.

A juventude está dando um grande exemplo, com as ocupações nas escolas e universidades, contra a reforma do ensino médio e os cortes na educação (PEC 55).

No Rio de Janeiro, os servidores públicos também se uniram e estão nas ruas contra a política de arrocho do governo estadual.

Estamos vivendo um período de forte ofensiva dos patrões e governos contra os nossos direitos. Mas temos todas as condições de resistir e defender as conquistas que custaram muito sangue da nossa classe. É preciso preparar uma Greve Geral que paralise o país em defesa de nossos direitos.

Anúncios