Campanha pelos direitos trabalhistas na Embraer dos EUA

O Sindicato vai participar de uma campanha internacional em defesa do direito de sindicalização na Embraer dos Estados Unidos. A ação é resultado do Congresso dos Trabalhadores em Empresas Fabricantes de Aviões, realizado esta semana na cidade americana de Chicago.

O vice-presidente licenciado do Sindicato, Herbert Claros, participou do Congresso e conheceu melhor a realidade vivida pelos companheiros norte-americanos. O evento foi organizado pela International Association of Machinists and Aerospace Workers (sindicato que representa trabalhadores do setor nos Estados Unidos e Canadá).

Foram cerca de 2.000 delegados participantes, entre eles trabalhadores da Boeing, Bombardier, Cessna e Spirit. O único sindicalista da Embraer presente era Herbert.

A falta de representação dos trabalhadores da Embraer tem uma explicação. Na fábrica em Melbourne (EUA), a empresa impõe todo tipo de obstáculo para impedir a aproximação entre trabalhadores e sindicatos. Na prática, isto significa a proibição da sindicalização.

Esta política autoritária foi um dos temas abordados no Congresso, que acontece a cada quatro anos e vota as diretrizes da categoria.

“Nosso Sindicato vai se incorporar a esta campanha para que os trabalhadores da Embraer nos Estados Unidos possam ter o livre direito de se sindicalizar. A legislação norte-americana garante apenas os direitos trabalhistas mínimos, portanto é muito importante a atuação sindical para a ampliação de direitos”, afirma Herbert.

Demissões no Brasil

A viagem de Herbert aos Estados Unidos faz parte das iniciativas do Sindicato em defesa dos empregos e direitos dos trabalhadores.

No Congresso, Herbert distribuiu boletins denunciando o PDV (Plano de Demissão Voluntária) aberto pela Embraer no Brasil. O assunto também foi discutido em uma reunião entre Herbert e dirigentes da IAM, que manifestaram solidariedade à luta dos metalúrgicos brasileiros.

“Tive a oportunidade de divulgar os ataques que a Embraer está fazendo no Brasil. A solidariedade internacional fortalece a luta da classe trabalhadora”, conclui Herbert.

Como representante internacional da CSP-Conlutas, Herbert também visitou os sindicatos dos professores e dos metalúrgicos da Ford de Chicago.

 

Panfleto distribuído aos delegados do IAMAW Convention
Anúncios