Embraer e Sindicato voltam a se reunir na próxima sexta-feira


A Embraer e o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos (filiado à CSP-Conlutas) voltam a se reunir na próxima sexta-feira (12) para dar continuidade às discussões sobre os planos da empresa em abrir um Programa de Demissão Voluntária (PDV) em suas fábricas de todo o Brasil.

Na reunião de hoje, a Embraer não deu qualquer informação sobre a meta de adesão ao PDV ou quais os benefícios a serem oferecidos para os trabalhadores. A empresa foi representada pelo diretor de Relações Trabalhistas e Sindicais, Eugênio Calil. O Sindicato foi representado pelo vice-presidente licenciado, Herbert Claros.

No encontro, Herbert afirmou que não concorda com medidas que penalizem os trabalhadores. Com as demissões e outras medidas anunciadas, a Embraer quer economizar US$ 200 milhões.

Este é o mesmo valor provisionado pela empresa para pagamento de uma possível multa referente ao caso de propina que está sendo investigado pelo Ministério Público Federal do Rio de Janeiro e denunciado em 2010 pelo Departamento de Justiça do governo dos Estados Unidos.

O provisionamento de US$ 200 milhões está registrado no balanço do 2º trimestre deste ano, publicado pela Embraer.

A verdade é que a Embraer não está passando por problemas de produção. Ao demitir trabalhadores, a empresa quer resolver um problema de caixa criado por ela própria. Por isso, insistimos em defender a estabilidade no emprego para todos os trabalhadores.

Anúncios