Nesta segunda, audiência pública debate desnacionalização da Embraer


A desnacionalização dos aviões da Embraer será tema de uma audiência pública nesta segunda-feira (14) na Câmara Municipal de São José dos Campos, às 17h.Esta será mais uma etapa na luta do Sindicato contra a transferência da produção e dos empregos da Embraer e setor aeronáutico para o exterior.

Apesar de todo dinheiro público recebido desde a sua privatização, por meio de financiamentos e contratos com o governo, a Embraer já começou a levar parte de sua produção para outros países. A consequência é o fechamento de postos de trabalho no Brasil.

A Embraer é a maior empregadora e maior fonte de arrecadação de São José.

Com a audiência pública, pedida pelo Sindicato, pretendemos levar a discussão da desnacionalização para toda a sociedade, incluindo trabalhadores, governos e patrões.

O Sindicato vai cobrar do prefeito, vereadores e entidades que se posicionem a favor da campanha contra a desnacionalização.

Audiência pública
Quando: 14/12 – 17h
Onde: Plenário da Câmara Municipal


Entenda a desnacionalização

O que é?
É a redução do processo de produção de aviões em território brasileiro, com a transferência para o exterior.

Quais aeronaves serão atingidas?
A produção dos jatos Phenom e Legacy será transferida para os Estados Unidos. Os jatos E2 deverão ser montados em Portugal. Parte das peças do KC-390 já está sendo produzida em Portugal e outros países.

Quais as consequências?
Demissões na Embraer e em outras empresas do setor aeronáutico.

Como impedir?
O governo federal financia grande parte das vendas e programas da Embraer, pelo BNDES, e poderia condicionar os empréstimos à exigência de conteúdo nacional nas aeronaves e geração de empregos. É preciso mobilização para pressionar o governo a tomar essas medidas. População, vereadores e prefeitos também têm de se somar à luta dos metalúrgicos.

Dinheiro do BNDES no caixa da Embraer
Últimos 5 anos: US$ 4,9 bilhões (40% do valor destinado pelo BNDES à exportação)


Denúncias ao governo

A política de desnacionalização adotada pela Embraer já foi denunciada, pelo Sindicato, ao Governo Federal e à Câmara dos Deputados. Dirigentes sindicais se reuniram, por exemplo, com representantes do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.


O que queremos:

Audiência Pública sobre o tema no Congresso Nacional.
Acesso às informações do Ministério do Desenvolvimento sobre importações e exportações da Embraer e suas parceiras.
Que empresas do setor de defesa cumpram o Decreto 7.970/2013, que obriga aviões militares serem produzidos no Brasil.
Condicionar empréstimos públicos à exigência de geração de emprego e transferência de tecnologia às empresas brasileiras.
Colocar o BNDES a serviço do desenvolvimento da cadeia produtiva do setor aeronáutico no país.

Anúncios