Alckmin adia reorganização nas escolas

19nov2015---estudantes-ocuparam-na-madrugada-desta-quinta-feira-26-a-escola-estadual-brigadeiro-gaviao-peixoto-em-perus-na-zona-norte-da-capital-paulista-segundo-os-alunos-a-policia-militar-foi-ate-1447941942802_956x5Os estudantes secundaristas mostraram a força que tem um movimento: lutaram, resistiram ocuparam escolas e ruas e conseguiram fazer com que o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) recuasse. Em pronunciamento à imprensa, o governador anunciou o adiamento do projeto de reorganização no ensino estadual nesta sexta-feira (4).

“Tomamos a decisão de adiar a reorganização e rediscuti-la escola por escola”, disse o governador. “O ano de 2016, que seria o ano de implantação, será o ano de aprofundar o diálogo. Alunos vão continuar na escola que já estudam, não haverá mudança”, completou.

Para a professora Eliane Nunes, também integrante do sindicato dos professores, esse recuo do governo é uma primeira vitória, mas também é importante continuar a luta. “Diante de um governo que precisa implementar o ajuste fiscal na esfera estadual é preciso continuar a luta e não baixar a guarda”, alerta.

De acordo com a professora, o governador ter ido à rede nacional reconhecer esse recuo é algo significativo.  A última vez que ele voltou atrás em rede nacional de alguma decisão foi em 2013. À época, estudantes e o conjunto da população foram às ruas contra o aumento das passagens do transporte público e conquistaram a revogação.

O pronunciamento ocorreu no mesmo dia em que uma pesquisa divulgada pelo DataFolha comprovou queda de sua popularidade, atingindo a marca de apenas 28% de aprovação. Na pesquisa divulgada em outubro do ano passado, 48% dos entrevistados avaliavam o governo como ótimo ou bom.

Também como parte da força do movimento, no dia de hoje, após o anúncio de Alckmin, o secretário de Educação Herman Voorwald decidiu entregar o cargo.

Fonte: CSP-Conlutas
Anúncios