Décimo terceiro salário dos metalúrgicos injeta R$ 230 milhões na economia da região

  
O 13º salário dos metalúrgicos deve injetar cerca de R$ 230,7 milhões na economia da região até o final de 2015 e representa um aumento de 8,14% em relação ao ano passado. O cálculo é do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) – Subseção do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos.

Os recursos destinados aos metalúrgicos de São José, Jacareí, Caçapava, Santa Branca e Igaratá equivalem a 14,7% do total do Vale do Paraíba. Desse volume, aproximadamente 3/4 serão recebidos pelos trabalhadores concentrados em duas divisões econômicas: setor automotivo, que responde por 19%, e setor aeronáutico, com 58,7%.

Em toda a Região Metropolitana do Vale do Paraíba, que compreende 39 cidades, será injetado R$ 1,5 bilhão, a ser recebido por 585.178 trabalhadores com carteira assinada. Na comparação com 2014, houve crescimento de 6,8% nessa massa salarial.

O cálculo abrange as duas parcelas do 13º, incluindo as já recebidas antecipadamente por trabalhadores por ocasião de férias e outros acordos. Estima-se que cerca de 70% do total dos valores referentes ao 13º sejam pagos no final do ano.

Vale lembrar que a primeira parcela do 13º deve ser paga até o dia 30 de novembro. Já a segunda, o prazo é até 20 de dezembro.

“Essa injeção na economia é resultado do suor de milhares de trabalhadores, que dão duro o ano inteiro na linha de produção, mas que também lutaram por melhores salários. Tivemos uma das Campanhas Salariais mais difíceis dos últimos anos, mas mesmo assim conseguimos garantir aumento real de salário”, afirma o presidente do Sindicato, Antônio Ferreira de Barros, o Macapá.

A estimativa feita pelo Dieese leva em conta dados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) e do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), ambos do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), portanto estão descritos apenas os trabalhadores do mercado formal de trabalho.

Anúncios